Total Supernovas no Multiverso

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ao Longo da Estrada - 4


É difícil encontrar uma saída quando todos nossos sentidos estão silenciados por uma dor latente e silenciosa que somente nosso coração é capaz de sentir. Posso estar enganado quanto ao destino de todo esse sofrimento, toda essa dor que habita meu ser, todas as dúvidas que decoram minha mente, mas de uma coisa eu sei... Eu nunca fui capaz de sofrer tanto assim.
Quando você possui todas as estrelas do céu em suas mãos e de repente elas despencam perdidas por sua falta de controle é que você se sente mais pesado que o próprio céu. A solidão que se é capaz de sentir mesmo entre milhares é o que pode resultar de toda desesperança que alguém pode desfrutar.
 Sigo só, sinto que nem mesmo meus inimigos interiores seguem junto a mim nessa estrada, mas é cruel o fato disso tudo ser uma antítese, nunca estive tão bem amparado em toda minha vida, mas mesmo assim estou completamente vazio.
Quando a noite chega e você vê pelas ruas vazias que não há nada capaz de lhe confortar, que somente a dor de se estar só é o que lhe resta é que você vai pra casa e percebe que ainda está sem destino, e que somente as lágrimas lhe fazem companhia.
Faz tempo que não às utilizo, faz tempo que meus olhos não se umedecem com o peso de todas minhas decisões, mas por dentro tudo o que sou está despedaçado. É nessas horas que você tenta reaprender a viver, é nessas horas que você procura reaprender a amar novamente.
Preciso de um amor que me complete singularmente, um amor ao qual eu possa me entregar de corpo e alma sem medo de me perder, um amor que possa me guiar pela noite mais densa quando todas as estrelas estiverem obscuras. Sei que dentro de mim há uma luz que me guia, mas ela brilha fraca no meio de um poço fundo de dor que somente sua existência é capaz de me lembrar que ainda resta você.
Tento seguir em frente, por esse caminho de folhas secas que refletem a distancia que existe entre nós, que me fazem lembrar do quanto é impossível ter você do meu lado quando mais precisamos. Paciência é o que você me diz para possuir, e é justamente ela que busco no meio de toda essa escuridão.
Espero que todo o frio que há em meu coração, que todas as lágrimas que escorrem por minha corrente sanguínea adulterada por todo álcool que se possa imaginar se dissipem no momento em que eu alcançar a luz que há somente em ti, a luz da existência que só sua presença é capaz de me proporcionar.
Quando à hora chegar quero apenas descansar e sorrir, pois sei que no fim sempre há uma esperança...

5 comentários:

  1. No fim desse túnel de escuridão e obstáculos... nós 3 estaremos lá... Esperando por vc! Nunca se esqueça... Suas 3 estrelas... só suas!!! Venha com Deus! E nunca desista... esperamos por vc!

    ResponderExcluir
  2. Seja lá quem você for... Um dia brilharemos no mesmo céu!

    ResponderExcluir
  3. Mt bom seu texto,vc consegue ver o que sentimos!
    descreveu com detalhes meus sentimentos!!!Vc tem um talanto extraordinario pra escrita!!!
    Amei seu texto e vou ler mais!!
    Continue assim !!!
    bjs Leticia

    ResponderExcluir
  4. Intrigante...é fato ou ficção??vc passou por isso msm??
    Queria poder te conhecer,tocar.Vc só de ler seu texto percebi o quanto vc entende da realidade da vida! Passei por alguma situação parecida!
    Incrivel..
    A escuridão em q vivemos nesse mundo não se importa com sentimentos...com nada é surreal ...
    Qualquer dia a gente c encontra por ai pode ser aki ou em qualquer outro lugar!1

    ResponderExcluir
  5. Com certeza tudo que escrevo é parte de minha passagem, de minha jornada e refletir algo do inteligível na matéria para que eu posso regurgitá-lo com algum de meus cinco sentidos, me faz acreditar que a dor é real e que deve ser dissipada de dentro para fora. Utilizem em doses homeopáticas os contos, eles curam!

    ResponderExcluir