Total Supernovas no Multiverso

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Demolidores Cruzados - Parte 8/8


SOLDADO ALADO DO COMANDO OVOLUN

Áquila, Torre de Zook Tarrur, 5 de abril de 1380, PM 0h01min


Zook Tarrur apontou o dedo para o Meio-Orc na entrada do salão com uma cara de poucos amigos. Thord Vallis ao lado dos dois halffits estava preparado para o que der e vir, inclusive enfrentar seus velhos amigos pela cabeça de Sub’Azzerroze.

― Escute aqui Thord Vallis ― declarou Zook com uma energia laranja crepitando na ponta de seus dedos ― Nem mais um passo ou eu juro que te mando pro inferno!

Thord tragou profundamente seu charuto e girando seu imenso martelo de metal em uma das mãos sorriu:

― Espero que desta vez você consiga então! ― disse ao arremessar com as duas mãos o martelo contra o peito do feiticeiro élfico que se esquivou a tempo de ver o martelo arrebentar a janela de vidro atrás de si e rodopiar pela noite afora.

Zook Tarrur disparou o raio laranja contido sobre os dedos contra Thord que até que tentou se esquivar, mas seus reflexos foram mais lentos que o poder do feiticeiro e viu seu corpo inteiro incinerar-se enquanto era arremessado contra a parede repleta de livros devido à explosão do raio.

― Eu avisei! Que isto sirva de aviso para todos vocês ― avisou furiosamente olhando para os outros cinco que estavam na sala ― Ouviu Heian? ― emendou encarando o Meio-Elfo que jazia paralisado junto do anão e do capitão arthaniano.

― Tá achando que isso vai me tirar de cena? ― disse uma voz que se levantava do chão ― Agora você tomar um pau como você nunca viu feiticeirinho de merda! ― declarou o Meio-Orc reacendendo seu charuto na própria pele em brasas enquanto ela se regenerava completamente diante dos olhos de todos.

Os cinco se entreolharam assustados. Zook mal pode acreditar no que viu. Diock Sub’Azzerroze era quem estava mais pasmo de todos eles, o Meio-Orc tinha umas contas para acertar com ele e ainda trouxera junto de si os dois halffits que ele deixara em uma das salas da Torre da Guarda. A essa altura com certeza Thord já sabia do que ele havia feito.

― Relaxa Thord! ― gritou Heian tentando se libertar da paralisia ― Me liberta dessa bosta Zook, vamos resolver isso aqui na conversa! ― ofertou com a face crispada de tanto fazer força para se libertar.

― Na conversa irmãozinho? ― indagou Thord sorrindo ironicamente ― Faz tempo que não te vejo amigão, mas antes você era bem mais esperto que agora. Isso aqui só vai acabar quando eu sair com a cabeça daquele capitão miserável em minhas mãos! ― disse Thord com ódio no olhar erguendo o braço como se segurasse uma cabeça nas mãos.

Zook Tarrur caminhou na direção do Meio-Orc de braços abertos, parou um pouco a frente de Heian, Zinkt e Sub’Azzerroze e olhando para os dois halffits atrás do bárbaro das planícies sentiu que as coisas estavam mais do que fora do controle.

― Escute Thord, tem uma coisa rolando aqui e quero te falar...

― Rolando? Sim! Esse covarde desse capitãozinho aí do seu lado torturou os meus dois amigos aqui ― disse Thord apontando para Ladnar e Jerry ― E agora eu quero ver, ele fazer isso comigo... ― disse ele estralando os dedos como se fosse começar a distribuir socos.

― Você está louco é seu Orc miserável? Eu não fiz nada disso, quanto é que eles te pagaram pra dizer tudo isso? Hã? ― gritou Sub’Azzerroze indignado olhando para todos ao redor ― Zinkt! Você estava comigo o dia inteiro, você me viu com os dois em algum momento?

Zinkt abaixou a cabeça, estava confuso, era muita coisa acontecendo em um único dia para sua cabeça. Mas, o fato dos dois halffits estarem ali junto de Thord não fazia o menor sentido, talvez o Meio-Orc falasse a verdade.

― Você nos disse que Ladnar teria encontrado alguma coisa com o tal do Helm e que tinha trazido até Zook Tarrur ― o feiticeiro élfico fez uma cara de quem estava boiando ― Você estava mentindo não seu miserável? ― berrou o anão bufando de raiva, pois agora tudo fazia sentido.

Thord disparou endoidecido para cima de Sub’Azzerroze, mas sentiu apenas seu corpo formigando e suas pernas e braços endurecendo como se estivesse sendo encantado. Então percebeu o feiticeiro com os dedos esqueléticos apontados para seu corpo e suas mãos brilhando com o poder de sua mágica.

― Seu Elfo do inferno! ― urrou de ódio olhando para Zook com os olhos arregalados ― Desfaz essa merda de mágica ou eu te prego na parede dessa torre.... Arggg!

Zook Tarrur olhou para os dois pequeninos e um sorriso amigável estampou seu rosto inexpressivo. Ele sabia que Sub’Azzerroze havia mentido para todos para que eles se reunissem novamente e viessem até sua Torre, talvez o capitão soubesse sobre o segredo da cidade de Áquila.

― É hora de deixarmos nossas diferenças de lado, pois hoje é um dia negro para todos nós. ― disse ele apontando para todos os amigos ― Algo muito ruim aconteceu ao Multiverso e temo que isso seja a causa de Heian e Helm terem sido vistos por pessoas da mesma dimensão, mas a culpa não é de vocês e sim desta gigantesca metrópole doentia.

Heian fez uma careta assim como Thord e Zinkt e os dois halffits.

― Que merda é essa de Multiverso e o que Áquila tem a ver conosco? ― disse Thord irritado babando de tanto faze força para se libertar, era primeira vez em sua vida que ele tinha sido encantado também.

Zook Tarrur juntou às mãos a frente da boca pensando por onde começaria.

― Na verdade nada e tudo... ― disse ele olhando para Sub’Azzerroze que parecia ler seus pensamentos, pois seu olhar estava determinado e com um brilho de aventura ― Você foram enganados pelo capitão para estarem aqui em minha presença.

Zinkt e Heian se entreolharam inconformados. Thord procurava entender o que estava havendo e os dois pequeninos que não estavam encantados tratavam de vasculhar a sala a fim de satisfazerem sua curiosidade.

― Porque você desejaria que todos nós estivéssemos aqui na Torre de Zook Tarrur capitão? ― perguntou Heian deduzindo que isso tinha alguma coisa a ver com a antiga liga que eles formavam.

― Pode me libertar Zook Tarrur? ― pediu o capitão e seu pedido foi atendido ― Eu precisava dos Demolidores Cruzados juntos novamente para uma missão secreta pelo bem de nosso reinado. Isso não deveria tornar-se de conhecimento do governo de Áquila. Eu suspeitava que esta cidade possuísse um segredo obscuro e agora tenho certeza. O lance é secreto.

Heian apertou os lábios fervendo de raiva.

― E isso justifica o que você fez ao Ladnar? Quebrar o nariz dele e espancá-lo feito o cão sem dono seu covarde miserável? ― vociferou Thord com as veias do pescoço saltadas com o fluxo acelerado de seu metabolismo.

― Eu precisava manter a aparência! ― disse com veemência ― Eles estão me olhando o tempo inteiro. Eles querem que eu lhes entregue Heian, eles sabem sobre Helm e precisam encontrar os dois. ― disse com pesar ao olhar para Ladnar que o observava do outro canto da sala com curativos sobre o nariz e um olho roxo ― Eles vão atacar a cidade esta noite...

― Quem? ― exasperou-se Heian.

― O Comando Ovolun! ― disse Zook Tarrur ― Eles caçam todos aqueles que possuem Ovoluns e eles sabem que você tem utilizado uma Dark Ovolun ultimamente. Você será um dos muitos que eles caçaram esta noite. Mas, nós já estamos atrás de Helm e vamos tirá-lo da cidade até que vocês dois estejam fora de perigo.

― Isso mesmo. ― concordou Sub’Azzerroze.

Heian olhava para Zinkt aparvalhado e o anão lhe retribuía o olhar descompassado. Estavam perdidos, mas uma coisa incomodava o anão, ele não sabia que Heian havia usado uma Dark Ovolun ultimamente em benefício próprio e isso lhe deixava profundamente magoado.

― Heian... Porque você quebrou sua promessa de protegê-las a qualquer custo? ― perguntou o anão sentindo-se traído pelo seu melhor amigo ― Porque você não me consultou?

― Não foi minha culpa, ela me obrigou. Certa noite eu acordei e havia uma voz em minha cabeça, era ela me chamando e pela madrugada eu fui ao encontro dela. E então... ― Heian perdeu a voz.

― Então o que Duende Ruivo? ― disse Sub’Azzerroze ansioso.

― Quando eu acordei... Estava deitado sobre o alto de uma das torres de Áquila e havia pessoas mortas por todos os lados. Eu as havia assassinado. Então descobri que às vezes sou possuído pela Dark Ovolun para seus próprios interesses... ― confessou Heian abaixando a cabeça.

Todos estavam pasmos.

Zook Tarrur caminhou até o Meio-Elfo e desfez seu encantamento sobre o velho amigo.

― Heian... Onde estão às outras duas que foram encontradas naquele ultimo ataque? ― perguntou o feiticeiro temendo o que viria a seguir.

Heian então respirou profundamente e levantou a cabeça para encarar Zook Tarrur.

― Eu as joguei dentro de um dos portais que interliga os bairros de Áquila... ― disse Heian com toda culpa possível ante o olhar inquisitório do feiticeiro.

Zook Tarrur balançou a cabeça negativamente.

― Você é o culpado Heian... Você ferrou com tudo, se preparem para abandonarem esta cidade o mais rápido possível! ― declarou Zook libertando Zinkt e Thord do encantamento ― Hoje haverá a maior colisão de forças sob os céus desta cidade, a pior guerra que vocês poderiam imaginar esta para acontecer.

Zinkt repousou a mão sobre o ombro de Heian e respirou profundamente.

― Você ferrou com tudo amigão! ― disse com um meio sorriso.

Então os rugidos das lendárias criaturas colidiram com as trombetas de alerta de invasão. Todos eles caminharam em direção a janela despedaçada e viram a noite avermelhada da gigantesca metrópole receber seus inóspitos visitantes. Os dragões haviam chegado espalhando o terror e a dragofobia por todos os lados, mas junto deles eles puderam ver milhares de criaturas sobrevoarem a cúpula das gigantescas torres.

Pareciam como golens de metal só que dentro das poderosas armaduras havia espíritos de seres angelicais. Eram como anjos de um mundo distante e tecnológico preparados para distribuir o castigo divino aos habitantes de Áquila, mas mal sabiam eles que era a própria cidade que os invocava.

O Comando Ovolun estava prestes a dominar o sistema de uma vez...

Por mais uma vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário